Criação da CPI da Covid em Dourados derruba teses conspiratórias
Variedades

Criação da CPI da Covid em Dourados derruba teses conspiratórias

Os vereadores de Dourados têm a oportunidade de apurar, a fundo, possíveis irregularidades com a verba federal para a pandemia do novo coronavírus. Nesta segunda-feira (5) a Câmara de Dourados aprovou a criação da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da COVID. A aprovação foi de forma unanime. A partir de quinta-feira (8), a CPI estará formalmente em funcionamento. A investigação é sobre 2020, quando Délia Razuk (PTB) encerrava seu mandato de prefeita.

O período alvo de investigação é referente ao mandato anterior, ou seja, não é sobre a gestão do atual prefeito Alan Guedes (PP). O vereador Fábio Luis (Republicanos), autor da proposta, deixou claro o objetivo da Comissão. “Saiu matéria que está circulando todo o Estado dizendo que pode derrubar o prefeito. Na verdade o foco é 2020, Vamos ver se as investigações da CPI vão cair em algum contradição ao exercício atual, mas acredito que a verba que veio neste período é muito menor que a do ano passado. É sensacionalismo para por pressão para cima do prefeito. Não partiu de dentro da Câmara esta informação”, avaliou.


A criação da CPI, por unanimidade, também descredibiliza informação que circulou em Dourados de que o prefeito Alan Guedes teria interesse em "inviabilizar" a investigação. Tal informação, criada com a missão de gerar dúvidas na população, também foi ventilada para que as pessoas acreditassem que o Executivo Municipal estaria se esforçando para criar obstáculos à investigação dos parlamentares. "Gostaria de deixar claro que no dia 29/03/2021 assinei o requerimento de formação parlamentar CPI para apurar o possível desvio de verbas públicas recebidas para o combate ao Covid no ano de 2020. Fica a dica para os canalhas de plantão que verifiquem a veracidade das notícias plantadas por aves de rapina antes de apontar o dedo e divulgar notas falsas", escreveu o vereador Rogério Yuri (PSDB) nas redes sociais, onde mostrou a assinatura de todos os vereadores que aprovaram a CPI. No entendimento de vários parlamentares, alguns sites em Dourados estão a serviço de forças políticas contrárias a atual administração. "Essa conspiração é praticada, de forma sistemática, por dois ou três sites. Faz parte do jogo sujo que infelizmente existe ainda na política", disse um vereador nas conversas de bastidores.

O Caso


Dourados recebeu R$ 54,9 milhões do Governo Federal para o combate a COVID-19. São os dados apurados pelo vereador Fábio Luís e disponíveis no site da transparência do município. A CPI vai investigar indícios de irregularidades recebidos pelo município em 2020. “Há inconsistências de dados no portal da transparência entre valores recebidos, gastos e aplicação do dinheiro”, apontou o vereador.


Os vereadores querem saber para onde foi a verba, se foi tudo gasto, se ainda existe reserva e onde foi aplicado. Por enquanto, os documentos elaborados em um dossiê estão em sigilo, mas apontam gastos que levaram ao pedido da CPI como, de acordo com o vereador Fábio Luis, pagamento de quem não está na linha de frente da COVID, gastos em publicidade e dispensa de licitações.

Criação da CPI da Covid em Dourados derruba teses conspiratórias

 

Por Alo Dourados

Comentários: